Post Cover

Roteiro para descobrir as belezas naturais do Pantanal Paulista

Avatar do usuário

Por Michelle ( Hi Mundim)

Atualizado há 22 dias

Destinos oferecem praias de água doce, pesca esportiva e muita natureza às margens do Rio Tietê

Você já imaginou nadar nas águas limpas do Rio Tietê? Isso é possível nas cidades que fazem parte da rota turística Pantanal Paulista. Com fauna, flora e clima parecidos com o do Pantanal sul-mato-grossense, o roteiro inclui as cidades de Andradina, Castilho, Pereira Barreto, Ilha Solteira, Sud Menucci, Suzanápolis e Itapura.

Se você curte natureza vai adorar conhecer o Pantanal Paulista! Além das praias de água doce, há uma grande variedade de peixes, pesca esportiva, parques, culinária típica do interior, esportes náuticos e uma fauna riquíssima.

Localizada na porção Noroeste de São Paulo, a região está na bacia hidrográfica formada pelos rios Tietê e Paraná. A paisagem por lá é exuberante e o sol brilha ao menos 300 dias por ano!

Dica dos locais

No Pantanal Paulista não faltam peixes como o tucunaré, o mandi, o pacu-prata, o barbado e o pintado.


Arte e turismo

Centro Cultural
Divulgação

A 630km da Capital, Andradina fica a 30 km dos rios Tietê e Paraná. Mas seu principal cartão-postal é o belo Centro Cultural Pioneiros de Andradina. Mais conhecido como Velha Estação, o local conta com um teatro de arena onde acontecem festivais, shows, musicais e danças.

Também conta com um teatro interno, uma biblioteca e uma pinacoteca.

Dica dos locais

A cidade de Andradina é conhecida nacionalmente como a Terra do Rei do Gado, pois o seu fundador era o maior criador de gado do Brasil. A cidade também foi lar do artista plástico Adélio Sarro e da poetisa Cora Coralina.

Ilustração
Divulgação

Três irmãos

Usina Três irmãos
Divulgação

Você já viu uma usina hidrelétrica de perto? Em Andradina fica a Usina Três Irmãos, a maior do Rio Tietê. A construção está localizada entre Andradina e Pereira Barreto, a 28 km da confluência com o Rio Paraná.

Dica dos locais

O mais bacana é ver o reservatório e a imensa estrutura da usina, que tem cinco unidades geradoras.


Museu de História Regente Feijó

Museu de História Regente Feijó
Divulgação

Vai passar alguns dias em Andradina com a família? Uma sugestão é visitar o Museu de História Regente Feijó. Com um rico acervo de peças históricas e literárias, conta um pouco da história de Andradina e seus pioneiros. As visitas são gratuitas e não é necessário agendar. Opção para quem gosta de história e de cultura.


Culinária regional

Festa da Mandioca
Divulgação

E que tal experimentar a culinária do interior? Há dez anos, Andradina promove a Festa da Mandioca. Tem pudim, nhoque, coxinha, pastel, escondidinho, sopa, cocada de mandioca, pão de queijo, tapioca, quibebe, quitutes veganos e muitas outras delícias todas feitas com a raiz.

A festa acontece todos os anos, sempre no primeiro semestre, no Centro Cultural Pioneiros de Andradina. Fique atento ao site da Prefeitura local, pois vale a pena participar e experimentar as delícias da cidade.

Dica dos locais

Além dos quitutes, o evento tem feira de artesanato, shows e apresentações culturais.


Quer saber mais?

Por aqui, você fica sabendo de novos roteiros que encaixam com o seu perfil

Você receberá e-mails com conteúdos exclusivos do Visit SP. Para mais informações consulte as políticas de privacidade.


Picanha premiada

Cupim & Cia.
Divulgação

Que tal um churrasco? Em Andradina, o Cupim&Cia é famoso pelo seu cupim casqueirado, seu costelão que derrete na boca, sua picanha na brasa e carré de cordeiro.

Dica dos locais

Vale a pena experimentar também o torresmo da casa. O prato é um sucesso por lá.

Cupim & Cia.
Divulgação

Festival japonês

Festival Bon Odori
Divulgação

Seguindo a tradição japonesa, Andradina promove anualmente o Bon Odori. No Japão, o festival acontece entre julho e agosto.

A festa reúne música e dança folclórica japonesa, na batida milenar do taiko, instrumento japonês - uma espécie de tambor - considerado o mais antigo na história da humanidade - apresentações de canto, danças, comidas e bebidas típicas, além das barracas com produtos originais do Japão.


Boteco raiz

Bar do Mocotó
Divulgação

Para quem curte cerveja gelada, bolinhos e diversos caldos, uma dica bacana em Andradina é o Bar do Mocotó. No cardápio, tem a iguaria que dá nome ao bar, é claro, além de língua, dobradinha e caldo de jegue.

Dica dos locais

Rolam também feijoadas e shows por lá!


Noroeste selvagem

Noroeste selvagem
Divulgação

A quase 650 km de São Paulo, a cidade de Castilho é privilegiada. Próxima dos rios Tietê, Paraná e Aguapeí é um destino para quem curte pesca esportiva e natureza. É envolvida por imenso lago, formado pela Usina de Jupiá.

O Rio Paraná, na divisa com o Mato Grosso do Sul, é um extenso reduto de natureza exuberante no roteiro do Pantanal Paulista. Por ali existem diversos ranchos que funcionam como pousadas especializadas em pescarias.

A água do rio é clara: em alguns pontos, com cerca de cinco metros de profundidade, é possível ver o chão de pedra e algumas espécies aquáticas. Grandes revoadas de garças, de araras azuis e de outras aves e pássaros são comuns por lá.

Também existem várias opções de prainhas nas duas margens do rio e em ilhas.

Dica dos locais

Na bagagem, além dos apetrechos de pesca, protetor solar, óculos escuros, e chapéu de aba larga, não esqueça o repelente.

Ilustração
Divulgação

Usina de Jupiá

Usina de Jupiá
Divulgação

Esta imensa obra da engenharia nacional representa uma atração turística especial em Castilho. A Usina de Jupiá foi a primeira grande hidrelétrica, entregue em 1974, e atrai cerca de dez mil turistas todo os anos. É a terceira unidade geradora em potência de energia elétrica do Brasil.

A usina tem uma eclusa, que possibilita a navegação no Rio Paraná e a integração com o Rio Tietê. Está em uma unidade de conservação, a 22 quilômetros de distância do centro da cidade e recebe visitas programadas.

Dica dos locais

O acesso é gratuito!


Esportes náuticos e passeios

Jupiá
Divulgação

Com águas cristalinas, a Represa de Jupiá é perfeita para esportes náuticos, mergulho, passeios de lanchas, caiaque e windsurf.

Para chegar até a represa, saia da Praça da Matriz, no Centro de Castilho, pegue a Rodovia Marechal Rondon e após 3km, siga a oeste. À esquerda da rotatória, vá em direção a Três Lagoas (MS). Na rotatória do km 665, faça o contorno à direita e siga a CTH-430 por 6km.


Ponto de encontro

Moradores e turistas se encontram na Praça Lizete Bispo dos Santos, também conhecida como Praça Central, em Castilho. O lugar recebe feiras, shows e grandes eventos.

A praça atrai visitantes que curtem aproveitar o grande lago artificial com peixes ornamentais. Tem ainda pontes de madeira e bela fonte com cascata.

Além do coreto, a praça possui playground, academias ao ar livre com cobertura, portal de entrada, quiosques-bar e até bancos temáticos. O bacana é que tudo é ornamentado com temática turística, lembrando fauna, flora e ecossistema da região.

Dica dos locais

Se você curte tirar fotos, vá até a Roda D´Água. Cartão-postal de Castilho, o monumento simboliza a história e as paisagens da cidade.


Pantanal Paulista

Parque Estadual do Aguapei
Divulgação

No Parque Estadual do Aguapeí, em Castilho, você tem contato com fauna e flora muito semelhantes às do Pantanal. Banhado pelas águas do Rio Aguapeí, é um dos últimos lugares em São Paulo onde ainda é encontrado o cervo-do-pantanal.

No Centro de Visitantes os turistas podem apreciar a exposição de painéis com imagens e informações de todo o ecossistema do parque. É possível fazer trilhas pelas matas e realizar safári fotográfico para contemplação da flora e fauna. Tudo com acompanhamento de guias e monitores.

Dica dos locais

Quem quiser fazer passeio de barco pode contratar serviços de aluguel de embarcação e piloteiro.


Ponte ferroviária

Ponte ferroviária
Divulgação

Outro ponto turístico em Castilho é a ponte ferroviária, que liga a cidade até Três Lagoas (MS) e passa sobre o Rio Paraná. Ela fica a 25 km do Centro da cidade e pode ser acessada pela Rodovia Marechal Rondon (SP-300), km 665.

A cinco quilômetros da ponte há uma praça de alimentação, no distrito de Jupiá (MS), com restaurantes, bares e lanchonetes. É um ótimo local para tirar fotos e contemplar a exuberância do rio.


Praia de água doce

Ilha Solteira
Divulgação

Os moradores de Ilha Solteira contam orgulhosos que a cidade tem a primeira prainha de água doce do estado.

Bem projetada, conta com quiosques, bares e barcos para passeio pelas água do Rio Paraná, que ali mais parece um mar! A Praia Catarina é bem cuidada, com quiosques e bares que vendem água de coco e porções de peixe. Você vai se sentir no litoral!

Dica dos locais

Com ranchos e área para camping, a Ilha Paraíso do Sol é outra opção de lazer bem bacana em Ilha Solteira. É uma ilha no meio do Rio Paraná, bastante frequentada por famílias e grupos de amigos.


Barragem

Barragem em Ilha Solteira
Divulgação

Uma das maiores barragens do Brasil está em Ilha Solteira. É ali também onde funciona uma das mais importantes hidrelétricas do estado.

A Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira é a maior de São Paulo e a sexta maior usina do Brasil. Fica no Rio Paraná e divide as cidades de Ilha Solteira (SP) e Selvíria (MS). De carro, anda-se mais de cinco quilômetros do início ao final da barragem.

Fica na Rodovia Ilha Solteira/Guadalupe do Alto Paraná, km 7.


Paredão do porto

Paredão do Porto
Divulgação

O Paredão do Porto é um lugar para contemplar o visual do Rio Paraná e da usina e fazer muitas fotos. O local é um dos principais atrativos de Ilha Solteira. Tem banquinhos coloridos e jardins, um ótimo lugar pra ver o pôr do sol.


Tietê limpo

Praia de Pereira Barreto
Divulgação

Outra praia fluvial famosa no Pantanal Paulista é a de Pereira Barreto. E o mais interessante é que ela fica às margens de um Rio Tietê limpinho! Chamada de Pôr do Sol, ela é uma praia artificial no reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos.

É uma das maravilhas de Pereira Barreto. Suas águas limpas e cristalinas atraem banhistas de toda a região. São 328 metros de praia com lanchonetes, quiosques com churrasqueira, pista de skate, estacionamento, playground e ciclovia.

Dica dos locais

Fica na Praia do Pôr do Sol o Aquário Municipal de Pereira Barreto. Reúne espécimes da região, como Tucunaré e Pacu, além de peixes ornamentais, como a carpa.


Pesca esportiva

Pesca esportiva
Divulgação

Para os fãs de pesca esportiva, uma dica é o Canal Artificial de Pereira Barreto. Fica no Rio São José dos Dourados e é o segundo maior canal artificial de água doce do mundo, com 9.600 metros de comprimento, 50 metros de largura e 12 metros de profundidade.

Quem navega por ali tem a oportunidade de contemplar a natureza exuberante em todo o seu percurso. Fica na Rodovia Feliciano Sales Cunha, SP-310.


Feira da Lua

Feira da Lua
Divulgação

Já é tradição em Pereira Barreto: toda quarta-feira à noite é dia de Feira da Lua. Ela acontece no cruzamento das duas principais avenidas da cidade, Jonas Alves de Mello e Brasil, e atrai moradores e turistas.

O bacana é ir até lá para comprar peixes, queijos, doces caipiras, pastel, frutas, além de produtos da culinária japonesa, tapioca, escondidinho, crepes, espetinhos de carne e artesanatos em geral.


Áreas de mergulho

Na cidade pacata do interior, Itapura, é onde acontece a confluência do Rio Tietê com o Rio Paraná. É um grande espetáculo da natureza!

A cidade de Itapura é também bastante conhecida e frequentada por mergulhadores. Tem a usina submersa Eloy Chaves, o navio vapor Tamandatahy, o salto submerso, além das ruínas da cidade antiga.

A usina está praticamente intacta após anos de alagamento. É possível observar as antigas escadarias, os locais onde se localizavam as turbinas e vários outros pontos. Mas, atenção: o mergulho deve ser acompanhado por profissionais.

O navio Tamandatahy, que esteve na Guerra do Paraguai, também pode ser visitado nas profundezas do Rio Tietê, onde repousa desde 1883, ou seja, há bem mais de um século!


Palácio Imperial

Palácio Imperial
Divulgação

Itapura esconde uma joia da história do Brasil. É o Palácio Imperial, erguido a pedido de Dom Pedro II na época da Guerra do Paraguai, em 1853.

Trata-se, na verdade, de um forte-palácio às margens do Rio Paraná. O lugar servia como um ponto avançado para defender o território. Virou patrimônio histórico tombado.


Grande variedade de peixes

Pesca do Tucunaré
Hi-Mundim

Tucunaré, tilápia, corvina, pirana, pacu e porquinho são alguns dos peixes encontrados no Rio Tietê, em Sud Mennucci. Com 30 quilômetros de extensão, o rio nessa faixa tem água limpinha e é a principal atração turística da cidade.

Com belas paisagens naturais, o município de Sud Mennucci atrai turistas por sua rara beleza e sua abundante fauna e flora.

Vivem por ali espécies como o tamanduá-mirim, cateto, capivara, onça pintada, tucano, seriema e muitos outros.

Dica dos locais

Sud Mennucci conta boa estrutura para atender o pescador como pousadas, hotéis, restaurantes, guias de pescas e mais.

Aves típicas de Tucunaré
Hi-Mundim

Olaria mal assombrada

Essa é para quem tem coragem e gosta de mistérios e histórias de terror! Moradores de Sud Mennucci afirmam que uma antiga olaria da cidade é mal assombrada.

E o caso ganhou notoriedade quando o apresentador Geraldo Luís, da TV Record, fez uma reportagem contando as histórias de terror que envolvem o local.

A olaria abandonada foi construída há 70 anos e fica em um ponto estratégico, bem no caminho utilizado por turistas que seguem para o Rio Tietê. Quem passa por ali jura que já presenciou alguma atividade paranormal, como sons e fantasmas.

Outra construção antiga que vale uma visita é o Casarão de Tábuas. Com mais de 100 anos, toda de madeira, encanta pela beleza e pelo tamanho. Ela foi construída para ser sede de uma das fazendas mais antigas da região, a Fazenda Triunfo. Era destino de férias da apresentadora de TV Hebe Camargo.


Pesca e ecoturismo

Cachoeira em Suzanápolis
Divulgação

Em Suzanápolis, a pesca e o ecoturismo são as principais atrações.

Banhada pelo Rio São José do Dourados, os pescadores são atraídos pela diversidade de peixes, como o tucunaré, corvina, pacu, tilápia, porquinho e piau.

Também é um destino interessante para quem curte ecoturismo. A Mata da Suzana é um lugar que atrai muitos visitantes. Possui mais de um milhão de hectares e grande diversidade vegetal e animal.

Dica dos locais

Na Fazenda Três Irmãos passa o córrego afluente do Rio Jacutinga. Por causa do terreno acidentado existem diversas cascatas e piscinas naturais no local. A maior das quedas é a Cascata do Jacutinga, com 1,5 metro de altura e uma piscina natural.

Ilustração
Divulgação

Veja também outros roteiros

Confira o que mais você pode fazer em São Paulo

Não encontramos nenhum roteiro dessa categoria nessa região.

Veja em outras regiões.

Quer saber mais?

Por aqui, você fica sabendo de novos roteiros que encaixam com o seu perfil

Você receberá e-mails com conteúdos exclusivos do Visit SP. Para mais informações consulte as políticas de privacidade.